Análise técnica: O que levou a Ferrari a vencer na Inglaterra

O GP da Grã-Bretanha foi um grande teste para o desenvolvimento da Ferrari nesta temporada. E a Scuderia passou, chegando perto da Mercedes no ritmo de uma volta e vencendo a corrida.

 

Apenas uma semana depois de uma grande atualização da Mercedes ter ajudado a montadora alemã a ter uma mudança de ritmo na Áustria, os desenvolvimentos da própria Ferrari pareceram fazer a diferença em Silverstone.

O circuito de alta velocidade na Inglaterra tem sido tradicionalmente a pista perfeita para a Mercedes, mas os ajustes no assoalho da Ferrari aumentaram sua velocidade e fizeram uma grande diferença.

Aqui, Giorgio Piola e Matt Somerfield analisam os ajustes em detalhe.

Mudanças no assoalho

093018_FERRARI_NEW__FLOOR__BRAKE_DUCT_COMPARISON__SILVERSTONE

Ferrari SF71H comparação assoalho e duto de freio – Foto: Giorgio Piola

 

Os longos buracos semelhantes a guelras no assoalho do SF71H foram atualizados, enquanto que um orifício extra, que alcança os buracos angulares à frente dos pneus traseiros, foi criado (destacados em amarelo).

Para compensar a chegada da guelra extra longa à frente, os furos angulares também foram ajustados.

Enquanto isso, a aba na borda do assoalho introduzida no início da temporada (seta vermelha) foi descartada e substituída por uma simples subida na borda do assoalho (seta vermelha).

A aleta serrilhada no canto superior do duto de freio traseiro (seta azul) também foi parte dessa atualização, pois as serrilhas vieram com espaços maiores (seta azul), trabalhando o fluxo de ar sobre a superfície com mais força.

Escolha da asa

098018FERRARIRWING-8634092

Ferrari SF71H comparação asa traseira – Foto: Giorgio Piola

 

Como parte de sua missão de oferecer um conjunto forte para as características de Silverstone, a Ferrari também decidiu usar sua asa traseira em forma de colher, trocando alguns pontos de downforce pela redução de arrasto.

Observando a interação do fluxo de ar com ar quente saindo da cobertura do motor como uma potencial armadilha, a equipe optou por andar com uma saída com um buraco na seção central do carro (inserção).

É uma decisão de design que a Mercedes, rival no campeonato, também tem utilizado quando usa a asa colher, pois também parece melhorar a consistência do fluxo.

Ritmo de desenvolvimento

É importante perceber que o sucesso da Ferrari não se resume a uma única atualização, mas o fato de ter sido capaz de desenvolver constantemente o carro ao longo de 2018.

Por: Giorgio Piola
Co-autor: Matt Somerfield
Disponivel em: br.motorsport.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s